top of page
  • Foto do escritorAna Wey

DESCOBRIMENTO DO BRASIL?

Atualizado: 2 de ago. de 2021

Por Ana Wey



A história, contada sobre o ponto de vista dos colonizadores, pode ter criado a equivocada ideia de que fomos descobertos. Mas, na verdade não foi em 1500 que o Brasil passou a existir. Não se sabe exatamente a data, mas escavações arqueológicas apontam que já existiam humanos em terras brasileiras por volta de 16.000 a.C. Cerca de 9.000 a.C., ocorreu um aumento significativo da população indígena, que se espalhou por todo o território nacional e com isso ocorreu uma importante diferenciação linguística e social.


Sim, as inúmeras tribos que aqui viviam, quando chegaram os portugueses, tinham hábitos culturais distintos e falavam Línguas diversas. Cerca de cinco milhões de índios habitavam o território brasileiro. As nações Tupi e Guarani, são as mais conhecidas e documentadas pelos navegadores portugueses, pois foram as que tiveram maior contato com os europeus.


Mas como era vida de índio?


Os índios sobreviviam da caça, da pesca, da agricultura e do extrativismo. Fixavam-se nos vales de rios navegáveis, permanecendo em um mesmo local por aproximadamente 4 anos, tempo em que os recursos naturais estavam esgotados e era hora de migrar para outra região; deixando a natureza se recompor.


Sabiam construir aldeias para até 700 moradores, feitas de madeira trançadas de cipó, recobertas com sapê. Haviam conexões tão extensas entre as aldeias confirmadas através de descobrimentos arqueológicos, que possibilitou o contato entre os tupis-guaranis e os incas do Peru.


Eram conhecedores de temperos e da fermentação de bebidas alcoólicas, fabricavam inúmeros objetos com as fibras nativas da floresta, moldavam barro para a fabricação de utensílios e urnas funerárias. Caçavam, semeavam, colhiam, teciam, cozinhavam, casavam-se e enterravam seus mortos em cerimônias mágico-sagradas. Eram organizados social e politicamente. Tinham um líder, o morubixaba, reuniam-se em conselho com o pajé e seus líderes, para tomarem decisões. Acreditavam em duas importantes entidades Monan e Maira; criadores do universo, além de Tupã, que era associado a destruição do mundo. Também acreditavam na vida após a morte, em que guiados por Guajupia, viveriam em um paraíso eterno, com seus ancestrais. Todo o multiculturalismo que compõe nosso Brasil é fruto dessa herança cultural, de um país que não foi descoberto, mas dominado pela cultura europeia, que apesar de ter subjugado, também se mesclou e contribuiu para a nossa brasilidade atual. Que nessa celebração possamos nos despir de padrões e preconceitos e mergulhar nessa herança cultural tão brasileira, aceitando as diferenças e honrando nossa história e todos os povos que aqui estavam e que chegaram ao nosso Brasil!




 

Ana Wey, mudou-se para Bangkok com o marido e os filhos em agosto de 2019 depois de passar uns anos no Vietnã. Ana tem pós graduação em Educação Infantil e atualmente cursa MBA em Educação. Ela é especializada na alfabetização da Língua Portuguesa para crianças e adultos.

Além disso tem como paixão a culinária, a leitura e uma sede de aprender coisas novas que a faz estar sempre em busca de novos desafios.


Membro da BTCC Social desde 2020

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page