top of page

MANTENDO-ME SAUDÁVEL - Com a palavra, a Fonoaudióloga

Quando me convidaram para escrever sobre algum assunto relacionado a Fonoaudiologia, fiquei na dúvida sobre o que escreveria, afinal, existem muitos assuntos (do nascimento ao envelhecimento). Decidi escrever sobre o desenvolvimento da fala e da linguagem, de uma forma simplificada, porque muitas pessoas perguntam sobre isso e existem muitas crianças no nosso grupo. A comunicação e a linguagem acontecem desde o nascimento do bebê, ao longo do seu desenvolvimento, sendo que podemos usar alguns parâmetros para sabermos como o mesmo acontece. Recém-nascido/1mês: Choram como reação à dor e fome. Assustam-se com sons altos e se acalmam com a voz da mãe. 2/3 meses: Choro de dor e de fome passam a ser diferentes. Vocalizam variando a duração e a altura da voz. Apresentam atenção ao som. A partir de 6 meses: Começam a balbuciar, brincando com os sons que emitem. Balbuciam repetindo diferentes sílabas (padada-mamada), experimentam todos os tipos de sons. 9/10 meses: Os bebês começam a apontar para o que desejam tentando emitir sons (gesto+sons). Compreendem ordens simples como “joga beijo” e “dá tchau”. 1 ano: Aparecem as primeiras palavras, tentam se comunicar mesmo com limitado vocabulário. Fazem onomatopéias como miau e auau. São atentos à comunicação. 1 ano e meio: Acontece um aumento rápido da compreensão e da expressão, já combinam duas palavras. 2 anos: Aparecem as primeiras frases com 2 a 3 palavras. Identificam as partes do corpo. Nomeiam figuras. Normalmente já falam os sons M,P, T e D. 2 anos e meio: Produzem frases com 3 ou 4 palavras. Normalmente já falam os sons K,G,N,F,V,S e NH.

No final do segundo ano, o vocabulário de uma criança é de aproximadamente 200 palavras.

3 anos: Produzem frases com 4 a 5 palavras. Podem manter uma conversação, mas podem se dispersar rapidamente. Cantam músicas infantis. Aprendem a falar “eu” e começa a fase dos “por quês?”. A partir dos 3 anos usam os sons Z, R (Carro e Arara), L e LH. 4 anos: Elaboram frases com 5 a 6 palavras. Narram história conhecida, sem ajuda, reconhecem formas geométricas e cores. 4 anos e meio: Aprendem a usar os sons de CH (chave) e J (janela). 5 anos: Definem objetos, tem noção espacial, contam histórias, usam os tempos verbais. Seu vocabulário é de aproximadamente 6000 palavras. 6 anos: Articulam corretamente a maioria dos sons da fala. Relatam fatos com frases gramaticalmente estruturadas. Conseguem manter uma “conversa” com o adulto. Reconhecem letras e escrevem palavras simples. Possuem aproximadamente 10.000 palavras. Entre os 5 e 6 anos, a criança adquire os encontros consonantais (Prato, Flor e Cravo, por exemplo) assim como (poRco, paSta, eScola e amoR). O assunto é extenso e cheio de detalhes, estas informações podem guiar os pais ao que “é esperado” para cada idade dentro da “normalidade”, claro que algumas crianças demoram um mês a mais ou a menos para desenvolver determinados fonemas na fala. Além disso, devemos levar em consideração o ambiente em que a criança vive, se os pais falam Português ou um dos dois fala outra língua ou se a criança foi exposta desde cedo a uma segunda língua.

Chegamos aqui novamente ao velho clichê “cada caso é um caso”, na dúvida, procure um (a) Fonoaudiólogo (a) para esclarecê-la.


Foi um prazer escrever um pouco pra vocês sobre o desenvolvimento das crianças e estou à disposição para esclarecer qualquer dúvida pelo email: duraod@yahoo.com.br

Djamilia Durão

Fonoaudióloga

Bangkok, Abril 2020

 

Djamilia Durão, Fonoaudióloga da Universitário São Camilo e especialização em Distúrbios da Comunicação pela Escola Paulista de Medicina e Especialização em Psicopedagogia pela FMU.

Membro da BTCC Social.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page